Esta página dá-lhe a conhecer a Vermicompostagem. Consulte também:

Como as minhocas e a vermicompostagem o poderão ajudar?

Certamente já deverá ter reparado na elevada quantidade de resíduos orgânicos que produz. Se vive no meio urbano, produzirá desde os simples desperdícios alimentares até aos resíduos do jardim, passando pelas vulgares borra de café ou até os dejetos dos seus animais de estimação.
Por outro lado, se reside no espaço rural, notará que grande parte dos resíduos produzidos são de origem orgânica, como os resíduos das culturas ou dos animais. Por fim, caso seja responsável por uma escola, empresa, indústria ou ETAR, decerto reparará que no seu processo produtivo resultam elevadas quantidades de resíduos. Pois bem, todos eles, quando não devidamente tratados, poderão originar graves problemas ambientais e de saúde pública!

As minhocas são espécies animais macroscópicas pertencentes ao filo Anellidae e classe Oligochaeta (do grego oligo que significa pouco e chaeta que significa ceda), sendo conhecidas mais de 7000 espécies, representando a maior fração da biomassa de natureza animal na superfície terrestre dos ecossistemas temperados. Saiba mais sobre o tema clicando aqui.

Fig. – Minhocas durante o processo de vermicompostagem.

A vermicompostagem surge assim como forma de minimizar o impacte ambiental que os resíduos orgânicos possuem na sociedade, recorrendo-se a determinadas espécies de minhocas sendo possível reduzir a imensa quantidade que diariamente é tratada indevidamente ou depositada em Aterro.

Os resíduos orgânicos que produz poderão compreender um ou mais dos seguintes:

  • Resíduos urbanos biodegradáveis (onde se incluem os resíduos alimentares domésticos e a borra de café).
  • Lamas de ETAR urbanas e industriais.
  • Papel e cartão.
  • Resíduos verdes e de jardim.
  • Vegetação diversa como folhas ou palhas.
  • Resíduos resultantes das podas e desbaste de árvores.
  • Estrumes.
  • Dejetos de animais de estimação.
  • Óleos alimentares e industriais usados.
  • Resíduos orgânicos industriais como por exemplo os resultantes do processamento de batata, tomate ou laranja.

Durante a vermicompostagem, é produzido o vermicomposto, constituído pelos excrementos das minhocas e alguma matéria orgânica decomposta mas não ingerida por elas.
Todos os produtos da vermicompostagem são ricos em matéria orgânica, húmus, nutrientes, melhoram as propriedades químicas, físicas e biológicas do solo, e diretamente a sua fertilidade e produtividade, com reflexos positivos a nível da biodiversidade.

Vermicompostagem

Fig. – Vermicomposto: um dos produtos da vermicompostagem.

A utilização das minhocas não se restringe unicamente à vermicompostagem. De facto, estas possuem diversas outras vantagens podendo ser benéficas para o ambiente ainda nas seguintes atividades:

  • Vermicultura – produção de minhocas.
  • Vermifertilização – utilização do vermicomposto como agricultura orgânica.
  • Vermidepuração – depuração de efluentes líquidos de origem doméstica e/ou industrial.
  • Vermiremediação – descontaminação de solos.
  • Vermiponia – cultivo utilizando-se unicamente extrato e/ou lixiviado de vermicomposto.
  • Ecologia, biologia e taxonomia – estudo da morfologia, comportamento, habitat e origem das minhocas.